ir parar home > Blog > Graduação na Inglaterra: a experiência dos irmãos Parry

Graduação na Inglaterra: a experiência dos irmãos Parry

 

Em uma visita ao nosso escritório de Curitiba, os irmãos Parry, Arthur e Victor, nos concederam uma entrevista contando um pouco mais sobre a experiência que os dois estão tendo enquanto fazem sua graduação na Inglaterra.

Os irmãos estão estudando na Inglaterra desde o ano passado: o Victor cursava Engenharia Aeronáutica na USP e optou por transferir seu curso para a prestigiada Universidade de Loughborough (Aeronautical Engineering). O Arthur acabou de terminar o Foundation Year e acaba de ingressar no curso de Electrical and Electronic Engineering na Universidade de Nottingham. Dá uma conferida na experiência dos dois!

 

  • gradeUP: Por que você decidiu estudar fora do país?

Vitor: Na minha área eu acho que o campo e as possibilidades fora do Brasil poderiam ser ainda maiores. Fiz seis meses de Engenharia Aeronáutica no Brasil, e todo mundo só queria trabalhar na EMBRAER, que é a maior empresa relacionada a aviões no país. Eu vi que a Inglaterra e Estados Unidos são lugares onde várias empresas de aviação existem, são importantes e funcionam bem. Além disso, também existem empresas menores e ainda é possível e mais fácil fundar uma empresa nessa área de tecnologia. Foi por isso que eu quis ir para Inglaterra e estudar lá.

  • gradeUP: Por que a decisão de escolher o Reino Unido como destino de estudos?

Vitor: Foi bem fácil, nós estávamos procurando Estados Unidos porque a pessoa que conhecíamos tinha algumas relações com a Embaixada dos Estados Unidos e as Universidades americanas. Por isso que nós estávamos somente olhando os Estados Unidos, porém já tínhamos pensado em Canadá e Reino Unido.

Arthur: Acredito que o fato marcante foi o preço (anuidade). As Universidades do Reino Unido são bem mais em conta do que as dos Estados Unidos, por um ensino de qualidade análogo. Acredito que é o mesmo nível de ensino TOP, só que você paga mais barato.

  • gradeUP: Como foi sua adaptação no Reino Unido?

Arthur: Foi uma adaptação como qualquer outra, é uma cultura diferente. A parte da língua nós já estávamos acostumados, apesar de termos aprendido a vida inteira o inglês dos Estados Unidos. Então, quando chegamos lá não foi tão fácil, porém agora já estamos acostumados. As pessoas lá são jovens como nós, então, nos entendemos. Os alunos e os professores sabem que tem muito aluno internacional, então você é diferente, mas não é pior ou melhor que ninguém: eles entendem que você não tem os mesmos costumes.

  • gradeUP: Como é viver na acomodação do campus?

Arthur: Eu acho que viver no campus ajuda demais, não só na parte logística (porque você está a poucos minutos de caminhada da sua aula), mas também porque é possível ter contato com muitas pessoas da sua idade, que sejam ou não da sua área de atuação acadêmica. É uma experiência única, acredito que o ponto forte de morar no campus é fazer novos amigos e conhecer novas pessoas.

  • gradeUP: Como você lida com a saudade da família?

Arthur: Ah, não tem como, é muita saudade. Para quem morou a vida inteira com a família e agora vai embora dá uma saudade, mas tanto nós quanto eles entendemos que é para o melhor.

  • gradeUP: Como você conheceu a gradeUP e como ela te ajudou?

Arthur: A gradeUP foi bem importante. Nós já tínhamos uma ajuda profissional, porém ela não era tão customizada para o aluno. Então, quando a gradeUP fez uma palestra na escola, o Léo acabou mostrando as possibilidades de estudar na Europa, Reino Unido no caso. E aí nós vimos uma possibilidade. Entre as semanas que nós conhecemos a gradeUP e que nós fomos efetivamente para fora, a gradeUP nos ajudou e facilitou muito o processo. Acredito que é muito difícil fazer tudo sozinho, então toda ajuda é bem-vinda e a gradeUP cumpriu o seu papel muito bem.

  • gradeUP: Como a sua escola te ajudou no processo de ingresso em uma universidade do exterior?

Arthur: Quando decidimos estudar fora através da gradeUP, tivemos que resolver muitas coisas. Era metade do ano e eu precisava de vários documentos para poder aplicar. A escola (Colégio Marista Santa Maria) conseguiu disponibilizar todos os documentos e acho que valeu muito a pena. Pois as escolas sempre dizem “Nós fazemos tudo pelos nossos alunos” e, nesse momento, quando colocamos à prova, eu acredito que eles realmente cumpriram isso.

  • gradeUP: Qual a dica que você daria para uma pessoa que quer seguir o mesmo caminho que o seu, estudar em uma universidade no exterior?

Arthur: Já me fizeram essa pergunta antes, e eu diria: procure ajuda. É obvio que é importante pesquisar se realmente vale a pena ir e decidir para onde você vai e quando. Mas acho também essencial procurar ajuda profissional, porque tem muitas pessoas que sabem o que está sendo feito como a gradeUP, por exemplo, e fica tudo mais fácil. Buscar ajuda abre a sua mente em várias opções, o que pode dar certo ou não… A minha primeira dica, então, seria: busque ajuda profissional

 

 

 

19.out.2017