ir parar home > Blog > Dicas do Estudante: como escrever um bom personal statement para dar início à graduação?

Dicas do Estudante: como escrever um bom personal statement para dar início à graduação?

A primeira recomendação parece óbvia, mas não copie nenhum texto ou parte de texto de outro estudante. Mesmo que você esteja aplicando para o mesmo curso na mesma universidade, os seus conhecimentos e experiências são diferentes de outro (a) aluno(a) e, com certeza isso terá um impacto significativo sobre a forma como o seu personal statement será avaliado.

No corpo do texto, a dica é que 35% de sua indicação pessoal sejam acerca dos seus conhecimentos e experiências anteriores, 45% sobre o que você espera obter na universidade (metas, experiências novas, etc.), e os 20% restantes sobre o futuro após o término do curso. É claro que o texto não precisa exatamente seguir estas porcentagens, mas é um guia importante.

——

Comece com uma introdução impactante. Você está perseguindo um curso em artes e foi interessado nas artes desde a infância? Mencione isso. Quem inspirou você? O que inspirou você? Que tipo de artes relacionadas a projetos, cursos ou competições você participou até agora? Fora da sala de aula, teve momentos que você expandiu o seu conhecimento nessa área por si só? Talvez você esteja interessado em medicina – já fez leituras e pesquisas pessoalmente? Além disso, se você já se matriculou em universidades anteriores, mencione isso em seu personal statement.

Existem outros detalhes sobre a sua vida que pode melhorar suas chances de ser aceito nesta universidade? Tais como o estudo anterior no exterior ou fazendo cursos adicionais por um período de tempo? Você já fez trabalho voluntário ou trabalhou em áreas relacionadas ao seu curso? Existem conhecimentos que você adquiriu que podem ser aplicadas ao seu curso? Não se esqueça: mesmo que a sua experiência anterior não tenha sido relacionada ao seu curso, aptidões como trabalho em equipe, gerenciamento de tempo e a capacidade de liderar pessoas fazem parte da sua experiência profissional.

Também é compreensível que a maioria de nós tenha dúvidas quando o assunto de escolher qual profissão que queremos vem á tona, e você pode mencionar esta dificuldade na sua declaração. No entanto, é recomendável que você não comente sobre mudanças e sobressaltos constantes. Isso pode mostrar que você é extremamente indeciso – como alguém que tem uma tendência maior a desistir da universidade. Mantenha o texto positivo e seja conciso; não saia da “pista” e comece a falar sobre temas desnecessários.

Para o desenvolvimento do texto, é importante mencionar o porquê você escolheu esta universidade e curso. O que você espera alcançar durante a universidade? Quais são as suas expectativas? Quais qualificações você tem agora que deseja aprimorar no período da graduação?

Finalmente, para a pré-conclusão, quais são as suas metas depois da formatura? Pretende voltar ao seu país logo depois? Por qual razão? Na conclusão, finalize o seu statement apontando motivos pelos quais você gostaria de ser aceito na universidade.

Adicionalmente, você pode mencionar possíveis hobbies que você tenha. Desta forma, os avaliadores não irão achar que você é estritamente acadêmico. Não que haja algo de errado com isso, mas eles têm uma tendência natural a preferir alunos que são competentes em vários aspectos.

Você não tem que necessariamente seguir este formato; você pode até mesmo mudar a ordem (se possível) para construir um texto mais interessante!

O mais importante é ser conciso. Evite brincar com as palavras e prolongar o texto com detalhes desnecessários.

É sempre mais fácil dizer do que fazer, mas use e mostre sua variedade de vocabulário. Isso pode ser difícil, pois algumas palavras em português podem traduzir para uma versão mais simples em inglês. No entanto, mesmo você sendo um estudante internacional, é importante mostrar aos avaliadores que o seu léxico é abrangente o suficiente para um estudante universitário.

Lembre-se de manter o seu personal statement pessoal e formal. Boa sorte!

By Yugo Sato- estudante de bioquímica na Aberystwyth University, fluente em japonês, inglês e português e estagiário na gradeUP durante suas férias no Brasil.

25.jul.2016